quinta-feira, 18 de abril de 2013

Quais são os ossos do Ser-humano?

A cabeça humana é, no seu topo, enformada pelo crânio (composto por vários ossos encaixados), que protege o encéfalo. O encéfalo está ainda protegido de lesões exteriores pelas meninges e pelo líquido cefalorraquidiano (também chamado cefalorraquídeo ou cefalorraquídio). Os órgãos sensoriais já referidos, inseridos em cavidades formadas pela própria estrutura óssea cefálica ligam-se, a partir de nervos, ao cérebro (uma das partes do encéfalo) que traduz os dados por eles recebidos nas nossas sensações e percepções, registando-as na memória (ou não).
A parte anterior da cabeça é a face. A parte posterior apelida-se de nuca. É possivel rodar ou inclinar a cabeça graças a duas vértebras no cimo da coluna vertebral. A cabeça mantém-se direita graças à acção dos músculos e ossos que compõem o pescoço.
A cabeça óssea é constituída pelos ossos do crânio e pelos ossos da face.
O crânio é uma caixa óssea constituída por uma parte superior, a abóbada craniana, e uma parte inferior, a base do crânio. A face é constituída por uma maciço ósseo, situado adiante da base do crânio e limitando com este várias cavidades onde se encontra a maior parte dos órgãos dos sentidos.
O crânio é constituído por 8 ossos, sendo que dois são pares e quatro são ímpares.
Frontal
Occipital
Esfenóide
Etmóide
A face é constituída por 14 ossos, sendo que seis são pares e dois são ímpares.
Maxila (2) Zigomático (2)
MARCOS M. FÉLIX 2
Concha nasal inferior (2) Palatino (2)
Vómer (o vómer é o osso que separa as duas narinas)
Mandíbula
Os ossos parietais formam os lados e a abóboda craniana. É um osso par, possuindo dois lados: esquerdo e direito. Este lados são unidos pela sutura Sagital. É um osso chato.
Articulam-se com os ossos frontal, temporais e occipital
O osso temporal é um osso par que forma as laterais do crânio ou têmporas. É um osso irregular e situa-se ínfero-lateralmente.
Situa-se na região lateral e inferior do crânio, constituem as paredes laterais do crânio e na sua cavidade timpânica localizam-se os 3 ossos do ouvido médio. A saliência óssea atrás da orelha chama-se Apófise Mastóide. OSSO FRONTAL
O osso frontal é um osso ímpar do crânio formando a calota craniana, sendo a sua localização ântero superior. É um osso chato (ou largo).
Osso frontal no nascimento
MARCOS M. FÉLIX 3
Diagrama do crâneo, em destaque o osso occipital.
O osso occipital está localizado na parte posterior do crânio e articula-se com os ossos parietais, temporais e esfenóide, bem como com a primeira vértebra cervical - o atlas. É dividido em quatro partes: uma basilar, uma escamosa e duas laterais.
O principal acidente anatômico encontrado é o forame magno, situado ântero-medialmente na base do osso occipital. A região delimitada pelo forame, além de ser o local de comunicação entre a cavidade craniana e o canal vertebral, é também onde a medula espinhal se converte em medula oblonga - contínua com o bulbo do tronco encefálico. Pelo forame magno passam as meninges, raízes espinhais do XI par craniano (nervo acessório), ramos meníngeos do primeiro ao terceiro nervos cervicais, artérias vertebrais e artérias espinhais.
O osso esfenóide é um osso situado na base do crânio na frente das partes temporal e basilar do osso occipital. Apresenta um formato semelhante a uma borboleta ou morcego com as asas estendidas.
MARCOS M. FÉLIX 4
O etmóide é um osso ímpar e mediano que, juntamente com o frontal, os parietais, os temporais, o occipital e o esfenóide, contribui para formar a cavidade craniana e a cavidade nasal.
O etmóide é um osso denominado curto, uma vez que a sua altura, comprimento e largura se equivalem harmoniosamente, não havendo predomínio de nenhuma destas dimensões. Este osso localiza-se na base do crânio, mais concretamente, na zona anterior medial.
MARCOS M. FÉLIX 5
Nos mamíferos, o maxilar é a estrutura da região frontal do crânio que suporta os dentes superiores e forma uma parte do palato, da cavidade nasal e da órbita. É formada por dois ossos geminados – as maxilas - que, nas extremidades rostrais (na linha média), articulam-se entre si em sínfise (fixa) e, nas restantes superfícies recebe os ossos nasais, palatino, etmóide, frontal e, nas regiões laterais, com os zigomas (as “maçãs do rosto”).
A malformação da sutura mediana das maxilas provoca o defeito conhecido como lábio leporino, no homem.
Cada maxila contém, da parte mediana à posterior, onze alvéolos para a inserção dos dentes, respectivamente: três alvéolos, que aumentam de tamanho do primeiro para o terceiro, para o engaste dos incisivos; um alvéolo canino, bastante profundo; quatro alvéolos pré-molares e três molares. Estes números referem-se à boca dum mamífero com dentição completa; nos vários grupos de mamíferos, os números variam, tendo evoluído de acordo com o tipo de alimentação.
Nas aves, as maxilas formam a base do bico. Nos restantes craniados, as maxilas são também formadas por dois ossos, mas nos répteis e peixes existe um par de prémaxilas.
MARCOS M. FÉLIX 6
O osso zigomático é um osso par do crânio humano. É achatado, de forma quadrangular, apresentando 2 faces, 4 bordos e 4 angulos.Se articula com a maxila, osso temporal, a grande asa do osso esfenóide e o osso frontal. Forma parte da órbita e geralmente é referido como o osso da bochecha ou osso malar. Está situado acima e lateralmente na face: forma a proeminência da bochecha, parte da parede lateral e assoalho da órbita, e partes das fossas temporal e infratemporal. Apresenta o forame zigomaticofacial na sua face externa. Na face interna apresenta o orificio zigomaticotemporal do canal têmporo-malar. A apófise orbital (Processus orbitalis) situa-se no bordo antero-superior. O bordo póstero-superior apresenta o tubérculo marginal. O bordo póstero-inferior dá inserção ao músculo masseter.
O osso lacrimal, o menor e mais frágil osso da face, está situado na porção anterior da parede medial da órbita. Ele tem duas superfícies e quatro bordas.
MARCOS M. FÉLIX 7
Os ossos nasais são dois pequenos ossos oblongos, variando de tamanho e forma conforme a pessoa. Eles tão dispostos lado a lado na porção média e superior da face, e formam, através de sua união, "a ponte" do nariz.
Cada um tem duas superfícies e quatro bordas.
A concha nasal inferior ou corneto inferior se estende horizontalmente ao longo da parede lateral da cavidade nasal e consiste de uma lâmina de osso esponjoso, curvada em si mesmo. Cada concha nasal inferior é considerada um par de ossos faciais já que elas surgem dos ossos maxilares e se projetam horizontalmente dentro da cavidade nasal. Na passagem do ar, ele é aquecido, umedecido e limpado. Superior à concha nasal inferior está a concha nasal média e a concha nasal superior.
Ela tem duas superfícies, duas bordas e duas extremidades.
Os ossos palatinos são ossos pares localizados no teto da cavidade bucal, formando o palato ósseo, cavidade nasal, órbita e a fossa infratemporal.
MARCOS M. FÉLIX 8
O vômer ou vómer é um do ossos ímpares do crânio. Ele está situado na linha sagital mediana, e se relaciona com o osso esfenóide, osso etmóide, ossos palatinos esquerdo e direito e os ossos maxilares esquerdo e direito.
OSSO VÔMER

Nos vertebrados, a mandíbula é o componente móvel (se movimenta nos três planos: sagital, frontal e transversal) do crânio que forma a parte inferior da cabeça. Por vezes, usa-se erradamente a palavra maxila (por exemplo, maxila inferior, nos mamíferos) para designar a mandíbula.

Nenhum comentário:

Postar um comentário